Eventos

mar
29
qua
Seminários do Grupo de Astrofísica @ CFM, Depto de Física, Sala 114
mar 29 @ 11:00 – 12:00
Seminário de Wagner Schlindwein: Estudo da nova anã OY Carinae em quiescência: parâmetros binários, disco de acréscimo e flickering
mar 29 @ 11:00

Resumo: OY Carinae é uma nova anã eclipsante de curto período (P aproximadamente 91 min) do tipo SU UMa. Suas curvas de luz mostram eclipses profundos (aproximadamente 2.5 mag), que duram cerca de 9 min, assim como erupções e supererupções em escala tempo de dias-meses. Os dados foram obtidos com o Telescópio SOAR de 4.1 m na banda B entre Fevereiro e Abril de 2014, enquanto o objeto estava no estado quiescente. OY Car apresentou variações de aproximadamente 30% no brilho fora do eclipse entre as curvas de luz individuais, o que nos levou a separar os dados em dois estados distintos de brilho (alto e baixo). Revisamos os parâmetros binários de OY Carinae, obtendo q = 0.107 ± 0.002, M1 = 0.808 ± 0.054  M, e raio externo do disco de 0.466 ± 0.002 RL1 e 0.57 ± 0.03 RL1 para os estados baixo e alto, respectivamente. As curvas de luz foram analisadas com técnicas de mapeamento por eclipse tridimensional. O disco de acréscimo é geometricamente fino e tem ângulo de semi-abertura desprezível em ambos os estados. O mapa de eclipse do estado baixo é dominado pela emissão do objeto central e do bright spot, sem contribuição significativa do disco, enquanto o mapa do estado alto apresenta emissão pronunciada de um disco de acréscimo mais extenso com uma diminuição da intensidade do bright spot. Aplicamos os métodos ‘Single’ e ‘Ensemble’ para derivar a dependência da amplitude do flickering de baixa e alta frequência com a fase orbital. A amplitude do flickering está correlacionada com o estado de brilho da binária, sendo maior no estado alto de brilho. O flickering originado no bright spot é de baixa frequência; sua amplitude relativa cresce de 5% para 20% do estado baixo para o estado alto. Já o disco de acréscimo produz flickering tanto de baixa quanto de alta frequência, e sua contribuição ao flickering total é maior no estado alto. Esta componente de flickering associada ao disco de acréscimo é possivelmente consequência de turbulência magneto-hidrodinâmica na atmosfera do disco – o que nos fornece a perspectiva de estimar a viscosidade no disco de acréscimo de OY Car em quiescência.

Local: Departamento de Física, sala 114.

abr
12
qua
Seminários do Grupo de Astrofísica @ CFM, Depto de Física, Sala 114
abr 12 @ 11:00 – 12:00
abr
26
qua
Seminários do Grupo de Astrofísica @ CFM, Depto de Física, Sala 114
abr 26 @ 11:00 – 12:00
mai
24
qua
Seminários do Grupo de Astrofísica @ CFM, Depto de Física, Sala 114
mai 24 @ 11:00 – 12:00
jun
7
qua
Seminários do Grupo de Astrofísica @ CFM, Depto de Física, Sala 114
jun 7 @ 11:00 – 12:00
jun
21
qua
Seminários do Grupo de Astrofísica @ CFM, Depto de Física, Sala 114
jun 21 @ 11:00 – 12:00
jul
5
qua
Seminários do Grupo de Astrofísica @ CFM, Depto de Física, Sala 114
jul 5 @ 11:00 – 12:00
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com